segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Almofadas em Crochê com Flor

Paz e Bem á todos!

Eis que a primavera está chegando, e nada como traze-la também aos nossos trabalhos.

Amo fazer flores em crochê, fiz muitas em tapetes, mas confesso que me dá uma certa pena de pisar em cima deles, então resolvi coloca-las nas almofadas.

Almofada Croche Flor Lã 1a

Aproveitei para as flores aqueles restos de lã que nunca acabam, é impressionante isso,  e o quadrado em um tom só.

Almofada Croche Flor Lã 1

Nada complicado, quadrado da vovó dos dois lados, um acabamento simples, e um enchimento comprado pronto, o típico trabalho para relaxar, para fazer vendo televisão em tardes de domingo. Lógico se não tiver nada melhor, rsrs

Almofada Croche Flor Lã 1b

As flores são as mesmas que já fiz em vários tapetes, não estava a fim de me esforçar para novos aprendizados.

Agora todo mundo quer uma almofada e meu divertimento já virou obrigação.

Mas olha quem saiu muito feliz nessa história:

Almofada Croche Flor Lã 1c

Brincadeira, eu também estou muito feliz, afinal nada como ver nossos trabalhos prontos.

Fiquem com Deus.

Assinatura 1

domingo, 7 de setembro de 2014

O Signifacado da Saudação “Paz e Bem”

Paz e Bem!
Talvez vocês tenham percebido, ou talvez não, mas todas minhas postagem começam com essa saudação: “Paz e Bem”
941_171011
Resolvi trazer aqui o significado dessa saudação franciscana por dois motivos:  informar aos que não a conhecem, e participar com esta postagem, da Blogagem Coletiva Espalhe Amor em Seu Blog, lançada por Elaine Gaspareto.


Divitae


A saudação franciscana de “Paz e Bem” tem sua origem na descoberta e na vocação do envio dos discípulos, que São Francisco descobriu no Evangelho e, que ele colocou na Regra dos Frades Menores – “o modo de ir pelo mundo”. Lucas (10,5) fala na saudação “A paz esteja nesta casa”, e Francisco acrescenta que a saudação deve ser dada a todas as pessoas que os frades encontrarem pelo caminho: “O Senhor vos dê a paz”.
No seu Testamento, Francisco revela que recebeu do Senhor mesmo esta saudação. Portanto, ela faz parte de sua inspiração original de vida: anunciar a paz. Muito antes de São Francisco, o Mestre Rufino (bispo de Assis, na época em que Francisco nasceu), já escrevera um tratado, “De Bono Pacis” – “O Bem da paz” e, que certamente deve ter influenciado a mística da paz na região de Assis. Haviam, então, diferentes formas de saudação da paz, entre elas a de “Paz e Bem”.
A paz interior como fundamento da paz exterior
Na Legenda dos três companheiros (58), São Francisco dá para seus frades, o significado único para a paz:
“A paz que anunciais com a boca, mais deveis tê-la em vossos corações. Ninguém seja por vós provocado à ira ou ao escândalo, mas todos por vossa mansidão sejam levados à paz, a benignidade e à concórdia. Pois é para isso que fomos chamados: para curar os feridos, reanimar os abatidos e trazer de volta os que estão no erro”.
Trata-se da paz do coração que conquistaram. Francisco exorta seus frades a anunciar a paz e a testemunhá-la com doçura, porque este é o único caminho de comunicação para atrair todos os homens para a verdadeira paz, a bondade e a concórdia.
A saudação da paz, como primeira palavra que os frades dirigem aos outros, tem o objetivo de abrir os corações à paz, isto é, à força espiritual interior: a paz interior da bem-aventurança e a paz proclamada e dirigida a todos, constituem uma única e mesma realidade.
O Bem da paz – o “Sumo Bem”
Deus Sumo Bem é a experiência fundamental de Francisco, o ponto de partida de sua espiritualidade. Nela se fundamenta a vida franciscana como resposta de amor, configurando o amado ao Amor. Portanto, “Bem” é Deus-Amor, é a caridade.
Deus, o Sumo Bem, chamou a todos a participarem do seu Ser, não no sentido de “soma de todos os bens divinos”, mas Deus, enquanto “bem único”. Por isso, a atitude típica de São Francisco é o êxtase adorante e a decisão de estar sempre a serviço deste Deus; um serviço que nasce da alegria da gratidão. É a atitude que projeta em Deus a completude de si mesmo, que leva a renúncia a tudo, até à posse de Deus. Francisco descobre neste “vazio”, a presença de Deus, unicamente como “dom”.
E é justamente este o sentido da resposta humana, a da conversão ao Bem, ao “Sumo Bem”: aceitar Deus como centro absoluto da própria existência, e inserir-se no seu projeto tornando-se seu colaborador. Desta experiência nasce a “doçura”, que enche a vida de Francisco, a sua necessidade de entregar tudo a Deus (pobreza), de render-lhe graças e louvá-lo sem cessar. Desta experiência nasce também a confiança de tudo arriscar, sabendo que Deus não o deixará desamparado.
“Paz e Bem” – A paz se constrói pela caridade
Portanto, a saudação franciscana de “Paz e Bem” é um programa de vida, é uma forma evangélica de viver o espírito das bem-aventuranças. Nestas duas ‘pequenas’ palavras se esconde um dinamismo e uma provocação: saudar alguém com “Paz e Bem” é o mesmo que dizer: o amor de Deus que trago em meu ser, é a mesma pessoa que reconheço nos outros e no mundo e, por causa d’Ele, devemos viver a caridade – o Bem – entre nós.
Daí que, a paz só se constrói por meio da caridade (o Bem), porque a caridade é “forte como a morte” (ct 8,6); à qual ninguém resiste e, quando vem, mata o mal que fomos para que sejamos outro bem. A caridade gera a paz. A caridade está na paz assim como o espírito da vida está no corpo. A caridade sozinha mantém firmemente unidos na paz os filhos da Igreja; faltando a caridade, esta paz se dissolve. A caridade vivifica os membros de Cristo, os une e os faz estar em harmonia num só corpo. Ela é como um cabo, em cuja parte superior foi aplicado um gancho que liga a divindade à humanidade, o cordão que o senhor colocou na terra e com o qual ergueu o homem para o céu”.
(Mestre Rufino)
Fonte: http://franciscanos.org.br/?page_id=3128
acessado em 07/09/2014

Assinatura 1

 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Manta em Crochê para Bebê

E as mantas insistem em não sairem de minhas mãos, o que aliás vem bem a calhar porque além da leveza da lã ainda tem o calor que aquece nesse friozinho gostoso que está fazendo ultimamente.

Na realidade tenho ainda 3 jogos completos para bebê a fazer mas resolvi iniciar as mantas, assim caso o tempo mude já não me sentirei incomodada com a lã.

Essa é a primeira:

Manta Amarela18

Escolhi um modelo simples, sem nenhum enfeite para que servisse a ambos os sexos, pois como sabem estes enxovais são para doação.

Para faze-la utilizei um gráfico já conhecido e do qual eu gosto muito devido a sua facilidade na execução e do visual depois de unidos:

Manta Amarela12

Colcha Crochê_gráfico[2]

Para o barrado também nenhuma novidade, pois acho que esse tipo além de complementar o tamanho da manta cai muito bem e ainda nos dá a flexibilidade de termina-lo como quisermos:

 

Manta Amarela14

Manta Amarela13

Bom, fica aqui mais uma ideia, espero que gostem. Já tenho outra começada, projeto diferente que vi pela net, e assim que terminar trago para vocês. Ando meio de devagar para não precisar parar.

Manta Amarela11

Assinatura 1